Rádio Vila Nova 98.3 FM - A Emissora da Comunidade 
#

O homem envolvido em um atropelamento na Praia dos Ingleses, em Santa Catarina, no início do ano passado, quando conduzia um Camaro, foi preso em flagrante durante ação do Departamento de Investigações Criminais (Deic) nesta quinta-feira (11). Jeferson Rodrigo de Souza Bueno é suspeito de furto de energia elétrica em uma empresa de Araricá, no Vale do Sinos.

Outras duas pessoas foram presas na mesma ação – uma também por furto de energia e outra por porte ilegal de arma de fogo. De acordo com a delegada Marina Goltz, funcionários da concessionária RGE afirmavam ter dificuldades de fiscalizar a empresa, pois sempre eram ameaçados. Desta vez, policiais civis acompanharam a fiscalização e realizaram as prisões. 

O prejuízo à concessionária de energia ainda não foi contabilizado. Jeferson é gerente da empresa investigada, que não teve o nome divulgado.

À reportagem, a defesa de Jeferson alegou que ele não possui "gerência ou figura em qualquer contrato social da empresa".  Eles vão ingressar com pedido de relaxamento da prisão na Comarca de Sapiranga. 

Atropelamento em SC

No dia 1º de janeiro de 2017, Bueno se envolveu em um acidente de trânsito que deixou uma pessoa morta e outras duas feridas na Praia dos Ingleses, em Florianópolis. Denunciado à Justiça por homicídio doloso triplamente qualificado, não chegou a ser preso.

Ele se apresentou em abril, após o mandado de prisão ser suspenso pela Justiça catarinense. Ele pagou fiança de R$ 70.275, e a Justiça impôs a ele outras restrições: comparecimento mensal no juízo em que reside para informar e justificar suas atividades, proibição de se ausentar da Comarca em que reside por prazo superior a oito dias sem anuência do juiz, suspensão do direito da permissão ou da habilitação para dirigir veículo automotor pelo prazo de dois anos e comparecimento ao Cartório da Capital para citação pessoal, ciência das condições impostas e entrega de sua CNH. 

No acidente, Cristiane Flores, de 31 anos, morreu. O marido dela, Nilandres Lodi, teve as duas pernas amputadas, e Gean Matos, 22 anos, amigo do casal, teve traumatismo craniano e lesão em um dos pulmões.

Na época, a defesa de Bueno alegou que a culpa pela perda do controle do Camaro era de um outro motorista, que teria colidido lateralmente no veículo, causando o acidente. O jovem foi ouvido pelas autoridades catarinense, mas não foi indiciado.

Jornal Diário Catarinense 12/01/2018