Rádio Vila Nova 98.3 FM - A Emissora da Comunidade 
#

vitória da França por 4 a 3 sobre a Argentina pelas oitavas de final da Copa do Mundo teve como destaque um jovem de 19 anos: Kylian Mbappé. Após marcar dois gols e sofrer o pênalti convertido por Antoine Griezmann, o jogador foi eleito o melhor da partida. Além disso, se tornou o segundo jogador mais jovem a marcar dois gols em um jogo de mata-mata no Mundial, perdendo apenas para Pelé — que realizou o feito com 17 anos.

Mas Mbappé também é destaque pelas atitudes fora de campo. Os jogadores recebem da  Federação Francesa o valor de 20 mil euros (cerca de R$ 90 mil por partida) por cada partida disputada na Copa do Mundo. E Mbappé resolveu doar o valor para uma associação de caridade diferente após cada partida, de acordo com o jornal francês L'Equipe.

— Jogar uma Copa do Mundo é um prazer, porque é um sonho que se torna realidade. Então, sim, há dinheiro em jogo, mas eu não me importo! Eu não jogo por isso — afirmou Mbappé em entrevista. Ele ainda considera que não é necessário ser pago para jogar pela Seleção e que os seus prêmios podem servir para causas sociais ou humanitárias.

O bônus no caso da França ser campeã da Copa do Mundo, com a distribuição de 300 mil euros para cada atleta, também deve ser doado por Mbappé. Inclusive, de acordo com o L'Equipe, outros jogadores como Lloris, Varane e Matuidi estão pensando em seguir o exemplo do jovem e destinar parte das premiações recebidas para tais fins.

Padrinho de uma fundação social

Desde 2017, Kylian Mbappé também se tornou padrinho da Premiers de Cordée, associação que realiza atividades com crianças hospitalizadas e campanhas de conscientização sobre deficiência. Em uma das ações, ele visitou um hospital na cidade em que cresceu, Bondy, onde participou ao lado de educadores de uma atividade de futebol com cerca de trinta crianças hospitalizadas.

 

Também tentando melhorar o local onde cresceu, segundo o L'Equipe, o atleta auxiliou no financiamento de uma viagem de estudos de 25 alunos da faculdade Jean Renoir para a Rússia. O jogador do Paris Saint-Germain recebe o salário de 17,5 milhões de euros por ano de seu clube.

Jornal Diário Catarinense 05/07/2018