Rádio Vila Nova 98.3 FM - A Emissora da Comunidade 
#

O corpo foi encontrado dentro de um latão de óleo submerso no Rio Marombas, na localidade de Campo da Roça, em Curitibanos, região Serrana de Santa Catarina. O cadáver foi localizado no início da tarde de quarta-feira (12), por volta das 13h, após buscas aquáticas realizadas pela equipe do Corpo de Bombeiros Militar — outras duas buscas chegaram a ser feitas anteriormente no local. O rio fica na divisa entre as cidades de Curitibanos e Ponte Alta do Norte. 

Há indícios de que a vítima, ainda não identificada, seria Odir Santo Digsagz, de 61 anos, morador de Curitibanos, que estava desaparecido há cerca de três meses. Ele teria saído do trabalho no dia 23 de maio dirigindo uma pick-up Fiat Strada, por volta das 16 horas, mas não teria retornado para casa.

Duas pessoas foram presas no início do mês de setembro depois de serem vistas dirigindo o carro da vítima, que também estava desaparecido. Os suspeitos teriam mencionado o rio durante o interrogatório.

— O caso ainda está sendo apurado, mas tudo indica que seja o corpo de Odir, pois foram eles que indicaram o local exato onde ele estava —, afirma a delegada regional da Polícia Civil Roxane Fávero Pereira Venturi.

Ainda não há informações sobre quanto tempo o corpo estaria submerso ou desde quando ele estaria morto. Uma autópsia será feita no final da manhã desta quinta-feira (13) para confirmar a identidade da vítima e a causa da morte de acordo com o Instituto Médico Legal de Curitibanos (IML).

Hipóteses

As investigações deixaram de ser tratadas apenas como um desaparecimento a partir do momento em que o carro foi localizado, levando a crer que teria sido roubado, de acordo com a delegada. Outro fator que chamou a atenção da polícia, segundo Venturi, foi o fato de Odir não ter realizado movimentações financeiras desde o dia do desaparecimento.

— Se ele tivesse ido para outro lugar, certamente iria precisar de dinheiro —, explica.

A polícia aguarda a autópsia, segundo a delegada, mas trabalha com as hipóteses de homicídio, latrocínio e uma terceira, que não foi revelada.

Jornal Diário Catarinense 13/09/2018