Rádio Vila Nova 98.3 FM - A Emissora da Comunidade 
#

Quem está acostumado a passar pela Rodovia Frei Godofredo, no bairro Santa Terezinha, e diminuir a velocidade do carro devido a duas lombadas eletrônicas instaladas quase em seguida, nota uma diferença. Isso porque agora, no local, encontra-se apenas o suporte que sustentava o equipamento que mede a velocidade dos carros.

As lombadas eletrônicas que estavam localizadas na entrada da comunidade Bom Jesus e na entrada da rua São Bento (em frente à empresa MCS Mecânica Industrial), foram retiradas do local na sexta-feira, 8 de setembro. O local já foi palco de diversos acidentes graves e os moradores estão indignados com a situação. Marcelo Poffo mora na rua Artur Poffo e, em seu facebook, postou um desabafo sobre a situação. Em um trecho do texto, ele diz: “quero ver só como vai ficar a situação das crianças que estudam na Escola Ervino Venturi. Porque diz a história que neste trecho já perdemos muitas pessoas amadas de nossa comunidade”.

A postagem do líder comunitário repercutiu na rede social e muitos moradores apoiaram a iniciativa de expor o problema para todos. “Apoiado!! Na entrada do Bom Jesus já é um perigo com a lombada funcionando. Agora imagina sem. Deus projeta nossas crianças”, disse Manoela Thaise Borges.

O que diz a prefeitura

De acordo com o superintendente de trânsito da Ditran de Gaspar, José Amarildo Azevedo, a licitação com a empresa responsável pelas lombadas eletrônicas venceu às 23h59 de 19 de agosto deste ano e a prefeitura não conseguiu a aprovação da prorrogação do contrato. Por este motivo, todas as lombadas eletrônicas de Gaspar estão desligadas por prazo indeterminado.

Ainda de acordo com o superintendente do Ditran, o setor de Compras da prefeitura está abrindo o processo licitatório para que o serviço volte a ser realizado. “As lombadas foram desligadas assim que o contrato venceu e a empresa tem 30 dias para retirar todos os equipamentos. Não temos prazo para que as lombadas voltem a funcionar. Isso depende do processo da licitação”.

Sobre uma maior atuação da Ditran nos pontos em que a lombada eletrônica era fundamental devido ao grande fluxo de pessoas, Azevedo justifica que não será possível uma intensificação nos serviços devido aos demais trabalhos que devem ser realizados. “Queríamos poder ficar nesses pontos, mas temos outros trabalhos a fazer, como continuar a fiscalização do limite de pesos no Centro e na ponte”.

Jornal Cruzeiro do Vale 11/09/2017